PEIXE MORTO AINDA MATA

Autores:  Caio Guilherme Secco de Souza,  Watson Beck Junior,  

Quatipuru é um município do estado do Pará, distante 210 Km da capital Belém. Localizado às margens da Baía de Quatipuru, possui uma população de aproximadamente 13.000 habitantes, a qual tem como principal fonte de renda a pesca. Entretanto, a população quatipurense tem observado uma alta mortalidade de peixes em sua baía, o que vem resultando em uma contínua queda na renda da grande maioria dos moradores da cidade. Preocupados com esta situação, os pescadores da cidade resolveram nomear dois representantes, “Chico Tilápia” e “Zé Baleia”, para conversar com o prefeito Dênis Ribeiro.

– Oi seu prefeito. Eu sou “Chico Tilápia” e esse é “Zé Baleia”. A gente é pescador e tamu enfrentano um pobrema com os pexe da nossa baía. Os bixinhu tão apareceno tudu morto nas marge da baía e issu tá atrapaiano as nossa pesca. A gente precisa da sua ajuda pra resorvê issu.

– Oi seu Chico e seu Zé. Olhe... eu não sou especialista em pesca e não sei, de imediato, uma solução pra esse problema. Mas eu vou conversar com os meus secretários e alguns especialistas para verificar essa situação. Assim que encontrar alguma solução, entro em contato com os senhores. Pode ser assim?

– Sim senhô. Mais faiz favor de logo issu porque nóis tá tudo ralado por causa disso.

Após conversar com seus secretários, o prefeito decidiu entrar em contato com o Prof. Charles Andrade do Instituto de Ciências Exatas e Naturais da Universidade Federal do Pará.

– Olá professor Charles. Aqui quem fala é Dênis Ribeiro, prefeito de Quatipuru. Nós estamos enfrentando um problema de grande mortalidade de peixes em nossa baía, o que está prejudicando a principal fonte de renda da nossa população. Gostaria de saber se o senhor poderia nos ajudar a encontrar uma solução para este problema.

– Olá Sr. Dênis. Antes de encontrar uma solução, precisamos saber a causa do problema. Para isso, vou precisar analisar as condições da baía, bem como os hábitos dos pescadores.

– Obrigado. O senhor terá total apoio de nossa parte para realizar suas análises.

Após pesquisas, a equipe do Prof. Charles constatou que a mortalidade dos peixes estava associada principalmente aos hábitos dos próprios pescadores que, após a pesca e o processo de filetagem, despejavam vísceras, carcaças e espinhos dentro da baía. A presença desses resíduos propiciava o crescimento da população de microorganismos, o que alterava as condições do ambiente aquático, resultando na mortalidade dos peixes. Assim, eles concluíram que de nada adiantaria encontrar uma solução, sem antes encontrar outro destino para os resíduos. Assim, sabendo que tais resíduos eram compostos principalmente por água, lipídios, proteínas, minerais e algumas vitaminas lipo e hidrossolúveis, o Prof. Charles decidiu engajar seu grupo de pesquisa em um projeto para encontrar formas de reaproveitamento desses resíduos de tal forma que sejam transformados em produtos com maior valor agregado, podendo assim tornar-se uma fonte de renda adicional para a população.

Você é um integrante do grupo de pesquisa do Prof. Charles. De posse de todos os seus conhecimentos na área de química, encontre algumas finalidades para tais resíduos de maneira a agregar valor aos mesmos para que sejam revertidos em uma fonte de renda adicional para a população quatipurense.  Escolha a melhor delas e argumente justificando sua escolha.

 

Estudo de Caso acessado 7002 vezes desde 30/04/14

 

Material Complementar e Soluções para o Caso

O presente material contém 3 arquivos em PDF:

- o caso para impressão no formato A4;

- o texto completo (contendo tópicos como: as fontes de inspiração, a teoria, os conceitos/habilidades/atitudes que se pretende contemplar a partir da aplicação do caso, as etapas sugeridas para a aplicação em sala de aula, as questões sugeridas para discussão e as soluções possíveis para o caso);

- a apresentação em Data-Show do caso e suas soluções.

Acessar Material Complementar